MACADÂMIAS CRUAS 100GR - A GRANEL

R$17,20

1. A Macadâmia ajuda a emagrecer

O alto teor de óleo na macadâmia faz dela um alimento calórico, mas nem por isso a noz deixa de contribuir para o processo de emagrecimento. Os quilos a mais não estão atrelados ao conteúdo de gorduras de um dado alimento, mas sim à quantidade de calorias que se consome e que se gasta ao longo do dia.

Em outras palavras, você deve sim incluir a macadâmia em sua dieta pois suas calorias valem a pena (basta rever suas propriedades nutricionais para se ter certeza disso)! Para se perde peso, uma boa alternativa é deixar de comer alimentos pouco nutritivos como bolos e biscoitos na hora do lanche, as famosas calorias “vazias”, e passar a consumir um punhado dessas nozes.

Além do mais, suas fibras e proteínas ajudam a controlar o apetite porque promovem uma sensação de saciedade. A macadâmia também é excelente fonte de ácido palmitoleico, um ácido graxo monoinsaturado que acelera o metabolismo, facilitando a perda de gordura corporal.

 

2. A Macadâmia é boa para os músculos

A macadâmia possui quantidades significativas de proteína, macronutriente essencial para o desenvolvimento dos músculos.

O consumo das nozes ainda ajuda a produção energia, que é requerida tanto na contração como no relaxamento muscular. Elas são riquíssimas em tiamina, uma vitamina importante para a geração de ATP via respiração aeróbica (o pirofosfato de tiamina atua na conversão do piruvato, produto da Glicólise, em acetilcoenzima A, composto necessário para iniciar o ciclo de Krebs.)

 

3. A Macadâmia ajuda a prevenir a aterosclerose

A aterosclerose é um processo inflamatório gerado pelo acúmulo de colesterol LDL na parede dos vasos sanguíneos. A presença de placas ateroscleróticas nas artérias é muito preocupante, pois a obstrução do fluxo sanguíneo no coração e no cérebro pode até mesmo ser fatal.

Os benefícios da macadâmia contra infartos e derrames são proporcionados pelos seus ácidos graxos monoinsaturados, como o ácido palmitoleico e o ácido oleico, que ajudam a reduzir o nível de mau colesterol (LDL) e aumentam o bom colesterol (as partículas de HDL ajuda a “limpar” as artérias, já que transportam o colesterol de volta para o fígado.) É importante salientar também que as nozes são livres de colesterol.

Uma pesquisa realizada pela Universidade do Hawaii comparou o efeito do consumo de três tipos de dietas após o período de um mês: uma dieta tipicamente americana (rica em gorduras e calorias), uma dieta benéfica para o coração (recomendada pelo “American Heart Association”) e outra dieta cujas calorias de gordura tinham uma única fonte, a Macadâmia. A investigação contou com a participação de 15 homens e 15 mulheres, entre 18 a 59 anos de idade.

Os resultados mostraram que os participantes que seguiram a dieta de Macadâmia tinham níveis de colesterol semelhantes àqueles que fizeram a dieta de baixa gordura da “American Heart Association”, mas menores quando comparados aos que comeram a dieta tipicamente americana. Vale destacar que os voluntários da dieta da Macadâmia também apresentaram menores níveis de triglicérides do que os demais e não apresentaram mudanças significativas de peso.

 

4. A Macadâmia ajuda a prevenir o Câncer

Nas nozes também encontramos compostos flavonoides, metabólitos vegetais que ajudam a combater os radicais livres.

Graças à atividade antioxidade dos flavonoides, há benefícios da macadâmia para evitar diversos tipos de câncer, como o de estômago, pulmão, próstata, útero e mama.

Os radicais livres são altamente reativos, e quando a defesa antioxidante do organismo não é suficiente, eles podem causar mutações no DNA, inclusive aquelas que transformam células sadias em cancerosas.

 

5. A Macadâmia ajuda a prevenir a Anemia

Os benefícios da macadâmia contra a anemia devem-se à sua significativa quantidade de ferro.

Como constituinte da hemoglobina, uma proteína presente nas hemácias, o mineral se liga às moléculas de gás oxigênio, provenientes da respiração, para que ele seja distribuído a todas as células do nosso corpo.

O consumo das nozes ajuda a manter o estoque de ferro em nosso organismo, evitando assim a anemia do tipo ferropriva, uma doença marcada pelo cansaço e fadiga.

 

6. A Macadâmia é boa para o sistema nervoso

Alguns nutrientes da macadâmia contribuem para a síntese de neurotransmissores, compostos químicos responsáveis pela sinalização celular.

A tiamina, por exemplo, participa da síntese da acetilcolina. Já o cobre, que também está presente em grandes quantidades nas nozes, é importante para a produção de norepinefrina.

 

7. A Macadâmia é boa para o intestino

Como vimos, as nozes são fonte de fibras, solúveis e insolúveis, que, além de promoverem a saciedade, trazem benefícios da macadâmia em prol da saúde intestinal.

Por acrescentar volume às fezes, elas estimulam a evacuação, prevenindo a ocorrência de prisão de ventre e ajudando na eliminação de toxinas.

As fibras também ajudam evitar a síndrome do intestino irritável.

 

8. A Macadâmia é boa para os ossos

A macadâmia apresenta minerais importantes para os ossos. O cálcio e o fósforo são nutrientes básicos na matriz óssea. O cobre e o manganês também auxiliam na manutenção da saúde do nosso esqueleto.

O magnésio, por exemplo, evita que cristais que fragilizam os ossos sejam formados. Além disso, sua carência também interfere no metabolismo do cálcio.

No caso do zinco, pesquisas indicam que ele ativa uma enzima que ajuda no processo de diferenciação das células osteoblásticas (responsáveis pela formação óssea) e impede a formação dos osteoclastos (responsáveis pela reabsorção dos ossos).

 

9. A Macadâmia é boa para a pele e os cabelos

Da macadâmia extrai-se seu óleo, que pode ser utilizado para o cuidado da pele e dos cabelos.

O ácido palmitoleico, mais uma vez, é o grande responsável por estes benefícios da macadâmia. Ele ajuda hidratar tanto a pele como os fios secos.

Para a pele, ele ainda evita o aparecimento de sinais de envelhecimento e melhora a elasticidade.


 

Compartilhar: